Você conhece a história do mundialmente famoso molho Alla Putanesca?

Eduardo Colucci, um membro da escola napolitana de pintura, com seu irmão Vincenzo ,moravam em uma ilha no Golfo de Napoles.
A vida de Colucci foi dedicada a receber os amigos artistas , escritores e estrelas de cinema em sua pequena mas fantástica casa. E nas noites quentes de verão, diante da vista paradisíaca da ilha, em seu terraço com uma oliveira no meio e vista para o mar, servia vinho gelado e sua especialidade Macarrão a Putanesca! 
Uma das versões para o nome podemos ver no livro de Ana Maria Chiariello – “Lucio Battisti -Emozioni Ischitane ” onde o neto de Colucci , Sandro Petti, reivindica a paternidade do prato.
Trecho do livro de Chiariello: “Uma noite, por volta das quatro da manhã, estávamos em Rangio e havia amigos realmente com fome -Sandro Petti diz, “Desculpe, não tenho mais nada na cozinha, não consigo preparar nada”. Mas eles insistiram dizendo: “Vamos lá, estamos com fome ! Faça qualquer bobagem! (facci una puttanata qualsiasi)
Então, o arquiteto que também teve paixão por cozinhar e pelas artes, depois de um tempo trouxe uma pasta de massa fumegante … espaguete, alho, óleo, tomates pelados, azeitonas, alcaparras e aliche, cheia de salsa.
O termo Putanesca então, não se refere a Putanas e sim a Puttanata, mesmo assim o termo um pouco vulgar valeu-lhe uma reprimenda de Dom Ernesto De Laurentis. (…) “Fui eu Sandro Petti e não meu tio Colucci a preparar pela primeira vez o molho a puttanesca”.
Bem, mas isso não nos importa tanto no que diz respeito ao sabor desse molho que ficou mundialmente conhecido como Alla Putanesca. E nós da Tavola Allegra, vamos preparar essa semana, esse delicioso molho, que gerou varias outras historias hilárias por seu nome e com certeza mais picantes que o molho!

Você vai encontrar aqui a nossa versão e se quiser, leva também uma historinha para se divertir um pouco.